Documento sem título
Receba as Novidades

Estado do Maranhão
Maranhão Brasil.



 Documento sem título
História.
Foram os espanhóis os primeiros europeus a chegarem, em 1500, à região onde hoje se encontra o Estado do Maranhão. Em 1535, no entanto, verificou-se por parte dos portugueses, uma primeira tentativa fracassada de ocupação do território. Foram os franceses que realizaram a ocupação efetiva iniciada em 1612, quando 500 deles chegaram em três navios e fundaram a França Equinocial.

Seguiram-se lutas e tréguas entre portugueses e franceses até 1615, quando os primeiros retomaram definitivamente a colonia. Em 1621, foi instituído o Estado do Maranhão e Grão-Pará, com o objetivo de melhorar as defesas da costa e os contatos com a metrópole, uma vez que as relações com a capital da colonia, Salvador, localizada na costa leste do oceano Atlântico eram dificultadas, devido às correntes marítimas.


Invasão dos Holandeses.
Em 1641, os holandeses invadiram a região e ocuparam a ilha de São Luiz, nomeando o povoado em homenagem ao rei Luiz XIII. Três anos depois, foram expulsos pelos portugueses. A separação do Maranhão e Pará veio a ocorrer em 1774, após a consolidação do domínio português na região.

A forte influência portuguesa no Maranhão fez com que o Estado só aceitasse em 1823, após intervenção armada, a independência do Brasil de Portugal, ocorrida em 7 de setembro de 1822. No século XVII, a base da economia do Estado encontrava-se na produção do açúcar, cravo, canela e pimenta; no século XVIII, surgiram o arroz e o algodão, que vieram a se somar ao açúcar, constituindo-se estes três produtos a base da economia escravocrata do século XIX.
Sirios-Libanese e Cearenses.
Com a abolição da escravatura, a 13 de maio de 1888, o Estado enfrentou um período de decadência econômica, do qual viria a se recuperar no final da primeira década do século XX, quando teve início o processo de industrialização, a partir da produção têxtil.

O Estado do Maranhão recebeu duas importantes correntes migratórias ao longo do século XX. Nos primeiros anos chegaram os sírio-libaneses, que se dedicaram inicialmente ao comércio modesto, passando em seguida a empreendimentos maiores e a dar origem a profissionais liberais e políticos.

Entre as décadas de 40 e 60 chegou grande número de migrantes originários do Estado do Ceará, em busca de melhores condições de vida na agricultura. Dedicaram-se principalmente à lavoura de arroz, o que fez crescer consideravelmente a produção do Estado.
Geografia do Maranhão.
O Maranhão, por sua localização geográfica, entre a Amazônia e o Nordeste e, por sua grande extensão na direção sul-norte, apresenta vários padrões climáticos, todos tropicais, mas com diferentes quantidades de precipitações pluviométricas e coberturas vegetais variadas:

florestas amazônicas na região Noroeste; cerrados nas regiões Centro e Sul; Zonas semi-áridas, no Nordeste do Estado. A capital – São Luís - e o litoral , com clima tropical quente e semi-úmido e com temperaturas, variando entre 22ºC e 32º C, são ideais para o turismo, principalmente para as pessoas vindas de regiões frias, tanto do Sul do Brasil, quanto da maioria dos países europeus e da América do Norte.

Já o Centro e o Sul do Estado - regiões dos cerrados, são propícios à agricultura, por sua temperatura constante, ausência de geadas, chuvas abundantes e regularmente distribuídas.
Hidrografia.
Topografia plana com baixos relevos Marés com até 7 m de amplitude Chuvas Abundantes e distribuídas. Grandes Bacias Hidrográficas Bacia do Rio Mearim(966 km) 110.936 km2 Bacia do Rio Itapecuru (1090 km) 52.700 km2 Principais Rios Rio Itapecuru (1.090 km) Rio Mearim (966 km)Rio Grajaú (690 km) Rio Pindaré (468 km)
VEGETAÇÃO. Floresta Equatorial (mais de 100.000 km2) Mata (de transição) / Cocais Cerrado Campos Manguesais Restingas.
Localização.
O Maranhão é o estado brasileiro com infra-estrutura portuária desenvolvida mais próximo de dois grandes mercados: o norte-americano e o europeu. Está próximo também do Canal do Panamá. Situa-se no oeste da região Nordeste, tendo como limites o Oceano Atlântico a norte, o Piauí a leste, Tocantins ao sul e sudoeste e e o Pará a Oeste.

É o único estado da região com parte de sua área coberta pela floresta Amazônica, apresentando importantes áreas de proteção ambiental. Em 1997, a capital São Luis foi declarada patrimônio histórico da humanidade pela Unesco.
Economia.
A economia do Maranhão se baseia na indústria (transformação de alumínio), O Maranhão conta 7 distritos industriais, das quais 3 (São Luis, Imperatriz e Balsas), e estão implantados e os restantes (Rosário, Santa Inês, Bacabal e Açailândia), em fase de implantação, todos localizados às margens ou em áreas que sofrem influência da Estrada de Ferro Carajás.

O Distrito Industrial mais importante do Estado é o de São Luis, situado a sudoeste da Ilha, onde estão instaladas as fábricas de Aluminia e Alumínio da ALUMAR (considerado uma das maiores do mundo), duas cervejarias (BRAHMA e ANTARCTICA) e aproximadamente 40 outras empresas que atuam nos setores Químicos, Têxtil, Gráfico, Imobiliário, Metalúrgicos, Metal Mecânico, Alimentos, Aliagenosas, Fertilizantes, Cerâmicos e Artefatos de Borracha e Cimento entro outros.
Extravismo, Agricultura e Pecuaria.
No extrativismo, Beneficiado pela situação geográfica as condições naturais e a grande variedades de paisagens, principalmente a mata característica. O extrativismo maranhense se destaca no cenário nacional pela quantidade e variedades de produtos, sendo uma das principais atividades econômicas do Estado.

Entre os produtos podemos destacar: Babaçu, Jaborandi ou Arruda e Madeira em tora. Na agricultura (soja, mandioca, arroz, milho). A pecuária maranhense se caracteriza por ser o tipo extensiva, onde os rebanhos são criados soltos. Os principais rebanhos são: Bovinod, Suíno, Caprino e Ovino, Bubalino, Aves. Existem várias teorias para a origem do nome do estado.

Porém, a mais aceita é que Maranhão era o nome dado ao Rio Amazonas pelos nativos da região antes dos navegantes europeus chegarem. O Maranhão destaca-se também no turismo (ecológico, cultural, religioso), apresentando aos visitantes uma mescla de ecossistemas somente comparada, no Brasil, com a do Pantanal Mato-Grossense. Possui o 2º maior litoral brasileiro, superado apenas pela Bahia.
Documento sem título
COPYRIGHT @ 2015 TURISMO-MA - Todos os Direitos Reservados